BEM-VINDOS, TIJOLINHOS!

Vamos construir juntos esse espaço de convivência e troca de figurinhas sobre artesanato, cinema, livros, decoração, filhos, jardinagem, horticultura e tudo mais de bom que possa surgir!


quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Pau que nasce torto...

...vira cangalha! Pra quem não conhece, é uma espécie de forquilha de madeira que se encaixa(maneira de dizer) no lombo do boi de carga para acondicionar a dita cuja.


imagem do google

Pois bem, há quem faça móveis com elas, como este aqui da foto. Esse banco é parte de um conjunto de três, sendo os outros dois, menores. Originalmente o assento era de corda enrolada em toda a extensão "bundal". Resgatei-os do quintal da casa da vovó, onde estavam meio abandonados, expostos ao tempo e aos cupins. Pintei-os inicialmente de amarelo, hoje estão com a cor tabaco e ficavam na varanda de casa. Minha cama box não tem cabeceira e o colchão superior é danado pra deslizar de um lado para o outro, independente de atividades conjugais mais afoitas (eita!). No meio de arrumações e encaixes de móveis em lugares diferentes, achei de colocar o banco na frente da cama, de maneira a facilitar na hora de calçar sapatos. Ficou bem prático, apesar dos estilos e cores chocarem-se um pouco... Quem acompanha minhas fotos por aqui, já viu uma certa cabeceira preta... Pois o segredo será revelado, o pano vai cair! Literalmente, devo dizer.

Munida de telas com moldura de madeira próprias para janelas, improvisei uma cabeceira e recobri com um fofo edredon preto para harmonizar com o restante da decoração do quarto. Fiz quase um origami de edredon atrás da cama pra ficar tudo bonitinho e não aparente. Ninguém desconfiou e foi o maior sucesso enquanto durou. Teve um episódio de um pé de sapato desaparecido que surgiu em meio a uma faxina, mas tudo bem. Eis que em meio a uma faxina BRABA, em que uma ajudante veio me salvar dos caos em que estava submersa, a notícia: Meu edredon estava sendo COMIDO pela umidade no pé da parede(rodapé para os chiques). Fiquei passada e pensei em como faria pra salvar o forro do infeliz, que ainda está 90% utilizável. Hei de inventar algum remendo, e também nunca mais bolar essas idéias nessa parede fajuta, a única de todo o condomínio que é partilhada com um vizinho(escuto quando batem bolo, picam verduras ou batem boca, infelizmente). Eu e maridex temos que criar códigos para os momentos de prazer, para que não diminua(ou aumente) o apetite dos que estão na cozinha da casa ao lado! Poodeee?

Esse pau torto aí já é baseado em esperança. Esperança de comer mamão produzido em casa, sem agrotóxicos. Para tanto não ligamos para o pezinho enxerido que brotou num lugar tão improvável, onde bate sol mais pelo meio-dia e atravancando a visão da minha fonte de leão da Metro. Tudo para que a natureza siga seu curso. Mesmo que seja torto.

Olha que gracinha, os bebezinhos. Torçam pra vingar! Eu adoro mamão...

Beijos a todas que compreenderam minha necessidade de sono. Ontem mesmo desmoronei como um iceberg mas já me senti outra quando acordei!

6 comentários:

Cinária Mendes disse...

Bom dia!!! Dormiu bem? E bem acompanhada?
Adorei o texto!!!
Menina, que legal este banco!
Se meu quarto tivesse espaço eu queria um, meu pai tinha que fazer.
Lindo o pé de mamão!
Beijos

Márcia Chaves disse...

Obrigada pela visita lá na minha 'casa'.
Adorei seu blog e já estou seguindo!!

Abs
Márcia
www.loucapramudar.blogspot.com

Cintia Branco disse...

Edlena,

Adorei tudo,fiquei imaginando os sinais para não chamar atenção dos vizinhos, ninguém merece.
Está lindo seu pé de mamão, mesmo torto parece que vai vingar.
Assim que acabar as roupas vou fotografar sim!
Beijos

Chantal disse...

Adorei o pé de mamão invasivo e *estrela* querendo fazer sombra ao leão da Metro! Pode? O teu blog é charmoso, cheio de borogodo. Dá prazer entrar, ler, ver, tudo é extremamente POSITIVO. Não tem nada down ou depressivo nele. Se alguém estiver deprê, é so entrar, que o astal já melhora! BEIJÃOZÃO

PS : uma *amiga* minha, a Joana que te falei, vai entrar e comentar também!

Chantal disse...

Edlena
Sei o que é ter pé de parede que mofa tudo. O pessoal usa *barro* no reboco das paredes, pelo menos aqui no Nordeste. O barro é condutor de umidade que vem do chão. Não adianta passar uma mão de isolantes, volta tudo. O jeito é quebrar o reboco até um metro de altura e trocá-lo por um preparado com cimento * areia lavada e nada de barro! Adorei o banco! Você ja notou que depois de uma certa idade, precisamos de um deles para calçar os sapatos?
Beijos

Cintia Branco disse...

Edlena,
Filho com DNA Alienígena está agradecendo as felicitações. Li todas para ele, hoje, no almoço, e esse moleque só ria, ficou se sentindo. Ficamos muito felizes com toda essa demonstração de carinho das amigas, muito obrigada!
Ele me disse mais cedo, depois que lemos tudo: "Nossa mãe, como eu sou amado!" Quase morri!
Beijos