BEM-VINDOS, TIJOLINHOS!

Vamos construir juntos esse espaço de convivência e troca de figurinhas sobre artesanato, cinema, livros, decoração, filhos, jardinagem, horticultura e tudo mais de bom que possa surgir!


quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Meu novo escritório

Moro num condomínio de casas há alguns anos. Há tempos o maridex insistia que eu devia viver a experiência de ser síndica uma vez na vida, e eu fugia como o diabo foge da cruz. Motivo: medo de gente mesmo, gente insatisfeita. Pois dizem que nem Cristo agradou a todo mundo... E eu que choro se a tampa da margarina cai do lado errado no chão, imagine se um condômino resolvesse implicar com alguma decisão que eu tomasse! Pois esse ano resolvi encarar(por livre e espontânea pressão, te amo amor!) mas de forma light: dividindo as obrigações com a síndica anterior. Enfim, sou sub. Subsíndica. Prazer.
Pois bem, vamos ao tema do post. Peguei o bonde andando na administração do condomínio no quesito interfones. A antiga central analógica foi substituída por uma digital e agora as casas podem se comunicar sem a necessidade da intermediação do porteiro (estou me achando usando esses termos técnicos). Com minhas novas atribuições, tenho que ficar de trololó com a síndica, vizinhos e porteiro diversas vezes ao dia (quem inventou esse emprego mesmo?) e ficava aquele engodo de pegar caneta pra anotar telefone de pintor, lembrar de comprar a lâmpada que queimou, ligar pra moradora de mudança pra agendar instalação de aparelho, aquele fuzuê sem um espaço de apoio junto ao mais novo acessório da casa que fica na minha mínima, ridícula e desconfortável área de serviço (não disse que eu ia passar a reclamar mais?).
Desta feita, decidi que esse ferro aí pendurado estava com minutos contados: ficava mesmo longe da área de atuação dele e eu precisava me organizar. Vamos à sequência de decisões:

Tchau, tchau, ferrinho. você irá para um lugar melhor...(ainda não achei, está vagando no limbo, o bichinho)

Procurei essa sobra de compensado e risquei o modelito de uma prateleirinha-cantoneira.

Detalhe do esboço e da parede encardida (tudo de uma vez não dá, gente!)

Perceberam como o espaço é mínimo? Bancada de trabalho sobre a máquina de lavar (a capa já está pedindo pinico) e o material espalhado: madeirinhas já pintadas para o suporte, pregos, martelo, a tinta e a prateleira já cortada e lixada.

Duas demãos de tinta branca e um vermelhinho pra atiçar o ânimo (NÃO SE METAM COM A SUBSÍNDICA!) Suportes já pregados na parede.

Ficou assim no princípio e já quebrou um bom galho, pois antigamente o aparelho ficava balançando ou apoiado no ferro elétrico se iam chamar o destinatário de uma ligação... Mas achei que faltava um toque meigo, de subsíndica dedicada, caprichosa, ciente de seus compromissos e amante do zelo e da ordem (EITA!)

E ficou assim. Emperequetadinho, com quadrinho de avisos, papeizinhos, alfinetinhos e caneta a postos pro que der e vier. Como dizia Voltaire, a pena é mais forte que a espada... Temei, condôminos!!!

8 comentários:

GIL disse...

Edlena, ficou fofo demais, e bem criativo, o vermelho, ficou lindo......bjks....Gil

Cinária Mendes disse...

Oi Síndica,
Não vou reclamar, vou elogiar...
Parabens pela ideia e o trabalho.
Ficou ótimo e lindo!
Beijos

Mãe dos filhos disse...

Ah, q fofíssimo!
Amei.
Boa sorte nessa empreitada.
Eu estou louca pra me livrar disso.
O pior é q o povo vive me adulando agora, pq disse q vou entregar até ao vento se ninguém assumir...kkkkkkk
Beijo

Tania Forti disse...

Um luxo esse espaço, Edlena, ops, sorry, senhoura sub síndica !
bjus

Cintia Branco disse...

Edlena,

Quanto Poder! Adorei a cantoneira e o quadro de recados ficou lindo.
Mas, o que mais gostei foi Voltare dando uma dica do que virá pela frente nesta gestão, uau!
Beijos

Cinária Mendes disse...

Edlena, amei a poesia!!!
Beijos de blogueiras poetas

FLOR DE LÓTUS disse...

Amei o quadrinho de avisos... acho que vc me seria muito útil aqui em PVH, qdo pode vir?? rsrsr Minha kitinete precisa de praticidade e essas coisas penduradas são uma benção qdo não se tem mais onde guardar as coisas!

Chantal disse...

Edlena
Adorei o post, e lendo eu me lembrei o quanto temos pequenos *pepinos* atravessando o nosso caminho todos os dias, mas nos acostumamos com eles, passamos por cima em vez de tomar uma medida simples, mas que muda tudo radicalmente. Veja para você o que foi tirar o ferro de passar daquele lugar impróprio e colocar essa prateleira. Que praticidade, tudo ao teu alcance para anotar recados, nada de sair correndo atrás de uma caneta ou de um pedaço de papel. Agora me diz: quanto tempo você levou para SACAR que o ferro tinha que sair daquele lugar? Tenho certeza que aquilo te incomodava sem você perceber. Eu notei que temos mil coisinhas assim em torno da gente que dificultam o nosso cotidiano, mas deixamos para depois. Eu vou te dar um exemplo. Eu fico muito na frente do meu micro e tenho um telefone na sala onde teclo que tem um fio muito curto. Quando eu ligava para um técnico da Velox (quando o micro estava com defeito) eu esticava o fio, mas o telefone não chegava perto do micro então não dava para seguir as instruções à distancia do técnico, eu tinha que interromper a conversa e dizer "UM MOMENTO, VOU VERIFICAR" então eu ia e voltava, ele me repassava as instruções e eu interrompia de novo a conversa para verificar o funcionamento do meu micro. Às vezes eu queria também ler um texto que eu tinha escrito para uma amiga, então eu puxava tanto o fio do telefone que ele acabava sendo arrancado, com tomada e tudo, da parede! Era um inferno! Mas cadê que eu tomava uma decisão!? Semana passada eu fui bater numa loja e comprei um telefone com um fio que tem 5 metros! VOILÁ! O Anterior vai ser usado para outro canto da casa e hoje, francamente, conseguimos comprar telefones por uns R$30,00!

beijos